My music...

https://youtu.be/IhAFEo8DO2o

terça-feira, janeiro 18, 2011

SURPRESA...


Por vezes, há uma necessidade de escrever...é o meu lema.
De quando em vez, ouso trazer aqui a minha prosa.
Deixo-os com mais esta sequência, do capítulo iniciado há cerca de ano e meio.




Consegui furtar uns míseros momentos de folga e, resolvi não dar descanso à minha vontade de repousar.
Apenas tinha de ter tempo, para recordar mares de memória infinita e, saborear odores em olhares sedentos.
Curioso, o "Ti" Augusto telefonara a pedir-me um favor, naquele sotaque nortenho simples:
- Oh! menino...vem cá acima...olhe... eu precisava de falar consigo...tenho uns papéis urgentes para lhe mostrar.
Camisola de gola alta, "jeans" blusão e botas, meti-me ao caminho. A caminhada foi longa. Mais de mil quilómetros, até ao recanto sem limite, onde a terra cheira a sonho e o mar é anfitrião.




A casa, apresentava saudades de ser habitada. Atirei o blusão para o meio do sofá e olhei a cadeira vazia, onde ainda estava o "EXPRESSO", bem amarelo das noites frias de há...alguns meses. Intacto. Não houve tempo para ser lido da última vez. Tinha sido colocado à beira do desejo de leitura, na última noite...em que as palavras foram mudas e os corpos dialogantes.
As notícias, curiosamente, diferem pouco. Falava-se do aumento dos combustíveis e, eles continuam na onda da subida de preços. Falava-se das greves nos aeroportos e elas continuam a acontecer. Falava-se na política que não se assume e, ela continua indefinida.




De repente à memória assaltam-me conversas do nosso amor. Às vezes zangas, outras tantas enleios. Personalidades diferentes e, bem marcantes.
Lembro-me da tua "picardia", ao destacares que o amor naquela noite, não era tão intenso, porque estavas muito cansada. Tinhas esperado mais de vinte e quatro horas no aeroporto e, tinhas gasto o dobro do dinheiro, só para "voares" até mim noutra companhia aérea. Isto para não falar no velho disparate redundante, que a política te dá cabo dos nervos...
Lembro-me de te calar a boca com "mordidelas" doces, em cada desculpa "esfarrapada", para justificares a fragilidade do teu abraço...estavas de rastos e, ainda tinhas trazido trabalho para fazer. E gritavas querer amar, mas também descansar.
Quando te perguntei se achavas que eu estava "fresquinho", respondeste: - OK !...boa razão, vamos descansar os dois...BOA????
Lembro-me do teu desastre na cozinha, quando deixaste queimar "tudo", pela birra de demonstrares seres boa dona de casa e excelente cozinheira...
Lembro-me do teu sinal da cruz, frente à igreja...e num sorriso teres gracejado para mim: - Ateu!
Lembro-me do teu poema deixado na beira da lareira, onde escreveste:

O teu olhar é o meu mar
Onde gosto de navegar livre
E o teu peito o porto seguro
Onde o meu corpo amarra...




Lembro-me das tuas lágrimas sonoras, quando num desajeitado descuido, fizeste cair o papel do "poemita" e, o fogo da lareira "comeu-o"...como disseste, muito triste.
Lembro-me da caneca gorda,que te ofereci, quando visitámos a feira de enchidos e, onde escreveste no fundo: - aqui beberei sempre o nectar do nosso amor...
Não pode ser lavada...se não a tinta sai...lá está em cima da lareira!
Lembro-me de tudo ...mas esqueci-me do telemóvel na mesa do café do "Ti" Augusto...onde, à chegada, tomara o café de cevada feito de propósito para mim.
A velha campainha rouca (herança com orgulho da velha casa maternal) tocou.
Fui abrir. O "Ti" Augusto mostrou-me o telemóvel e disse:
- Oh! menino...esta coisa está farta de tocar, veja lá se é urgente...
- Obrigado "Ti" Augusto...
- Olhe lá...a minha Maria, logo à noite p'rá ceia... vai fazer um peixinho no forno, apanhado esta manhã....vá ... apareça lá. Tem é que me pagar o café que tomou e não pagou, mas a ceia ofereço eu....o menino merece, tem feito tanto pela terra...
- Olhe que aceito...
- Oh! homem...desculpe ainda chamar-lhe menino, a minha Maria vai ficar tão contente. Olhe lá...e aquela menina que vem sempre de avião ( deve ser muito rica), não veio desta vez?
- Não...mas acabei de olhar para o telemóvel e é ela que quer falar comigo...
- Então fale lá...e diga-me se ponho mais um prato na mesa...
- Oh "Ti" Augusto...ela está longe...não pode vir...
- Olhe, nunca ouviu dizer que o longe às vezes é perto? Vá ...venha comigo, que a ceia está pronta e, a Maria começa logo a refilar...mulheres...





Atravessámos a rua, passámos pela frente do adro e, naquele Beco sem saída, a que o "Ti" Augusto chama "a minha coutada"...à porta um luzente carro ...
- Oh! "Ti" Augusto...que carro é este?
- Olhe... não sei...vá entre...
De braços abertos e sorriso rasgado, estavas eufórica...
Caíste-me no meu peito e quase tombávamos com o abraço seguido de longo beijo...
O "Ti" Augusto interrompeu naquela tosse marota:
- Meninos...depois resolvem a questão, desculpe lá menino ter-lhe mentido, era a surpresa que a menina encomendou. E hoje ficam aqui...jantem e durmam na minha cama. Eu e a minha Maria vamos p'rá do meu filho...caramba, cada vez que dormem ali na sua casa...saem sempre zangados...deve estar enguiçada a vossa cama...
Sorrimos...ouvimos o bater da porta e perguntei:
- O que se passa?
- Xiu!!!!...amanhã falamos.
Agora estou com fome...de ti também. Cheguei a uma brilhante conclusão.
- Qual?
- A saudade mata e o amor é para se cumprir. Perdi a cabeça. Pedi com carácter urgente a transferência e, a partir de agora...ai de ti...que não jantes comigo todas as noites...ouviste?????
- Só jantar ? ??
- Com sobremesa...claro !!!!!




in MOMENTOS - by OUTONO - 2011

18 comentários:

MeuSom disse...

:))))) e então Outono, conseguiste cumprir a promessa?!... :)))

há surpresas maravilhosas e uma delas é quando as pessoas são capazes de se nos entregar inteiras e para sempre.
e há também lembranças que nos fazem muito bem, há quem lhes chame "passado", não concordo, quando é passado é porque já morreu no coração.
:))) Gostei muito Outono.

Beijo.

Dica Cardoso disse...

Pssei tempos aqui e o tempo não passou...
Lufada leve e encantadora.
Parabéns!

Bons Dias!

Vanda disse...

Olá OUTONO

Gostei muito de o ler. Fiz uma pequena incursão no seu Blog, por sugestão de uma amiga.
Deixe-me dizer que a sua partilha, por aqui na Net é das mais culturais e de conteúdo sério. Já notei também que gosta e faz muito bem fotografia.
Tem já alguma obra editada(para além dos livros de fotografia - esgotados- porque não os encontro)? Caso tenha, gostaria de comprar.
Dou os parabéns às pessoas que ainda arranjam tempo, para vir aqui e publicarem trabalhos tão belos como os seus.
Sinceramente voltarei.

maria carvalhosa disse...

Amigo José Luís, ainda bem que não conseguiste publicar este delicioso texto no FB. Graças a esse teu insucesso, tive o prazer de descobrir este teu sítio, que vou adicionar lá no meu, e onde me parece que voltarei com frequência. Um beijo.

tulipa disse...

Olá OUTONO

Gostei muito de te ler.

Tu és BOM em tudo.
Poesia já eu conhecia;
Fotografia nem se fala...
e, agora, PROSA.
Que dizer?
FANTÁSTICO.

PARABÉNS!

Beijokas.

Aquarela disse...

Muitos parabéns!
Gostei muito do que li, voltarei cá!
senti-me bem!

OUTONO disse...

MEU SOM

Prometo quando sei que vou cumprir...
E gosto de surpresas, BOAS!
Grato pelo comentário.

Beijinho

OUTONO disse...

DICA

Li uma lufada de ar fresco...que me fez respirar mais responsabilidade.

Obrigado.

OUTONO disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
OUTONO disse...

MARIA CARVALHOSA

Sorrio...porque de uma tristeza, por não ter conseguido editar no FB, de repente muitos amigos passaram por aqui. E as tuas palvras agradaram-me imenso. Nem imaginas como.

Beijinho

OUTONO disse...

TULIPA

Com modéstia...vou tentando fazer o meu melhor. Daí a ser bom em tudo...ainda há uma autoestrada por cumprir.
E estes trabalhos em prosa, são já uma sequência de outros contos, partilhados também por aqui.
Beijinho grato

OUTONO disse...

AQUARELA

Ainda bem. E isso significa que não posso comprometer, este agrado.
Tentarei...

Beijinho

OUTONO disse...

VANDA

Se me permiste, tratamento informal.
Apesar dos perigos da Net, continuo a olhá-la com respeito. Nesse teor quem a utiliza também.

Fiquei muito agradado com o comentário e, destaco que ainda não tenho obra editada...se calhar não tenho estatuto para isso.

Quanto aos livros de fotografia, tenho informação que estão a ser bem aceites, daí uma venda rápida e esgotados. Mas procura na FNAC, ou tenta mesmo a própria editora - CHIADO EDITORA.

Beijinho

Nilson Barcelli disse...

Ficção ou realidade, o texto é excelente.
Lê-se de uma penada porque desperta a atenção do leitor.
Parabéns, gostei imenso.
Caro amigo, boa semana.
Um abraço.

OUTONO disse...

NILSON

Ficção ou realidade....???

Obrigado pelo comentário, que ~me responsabiliza.
Um abraço. Boa semana amigo.

mariam disse...

OUTONO
Muito bom! lê-se de um fôlego, depois, de novo, mais devagar...
Já tinha vindo ver, mas só agora deu para deixar coment.
Parabéns!

Next!

um sorriso :)
mariam

OUTONO disse...

MARIAM

Grato e sensível ao comentário deixado.
O próximo (next) será...talvez...veremos!

BEIJINHO

Vozes disse...

Vamos lá a continuar ok? Vai dar um excelente livro...