My music...

https://youtu.be/IhAFEo8DO2o

terça-feira, maio 22, 2012

LIBERDADE CAMPESINA




LIBERDADE CAMPESINA

 Nas águas da tua liberdade campesina
 Rasgo os lábios já secos da clausura
No arar de sulcos periódicos de tortura
 Onde mares cúmplices teimam em não amar

 Em cada flor brigante de vida errante
 Deixo um recado eterno sem retorno
 Em cada vento apátrida do amor que foi
 Na caverna hoje solar sem dimensão

 Nem os cânticos dos tempos solares
 Dilatam as certezas de falas coerentes
 E destroem os épicos dos enredos farsa

 Nos abraços do fado d’ ontem esquecido
 Nasce o pó d’ hoje tormento irrespirável
 E caduca o encontro cruzado de corpos



                                                                                              in MOMENTOS - José Luís Outono - 2012 (a publicar)

4 comentários:

mariam disse...

Belo. Tudo. e.. Os verdes campos de Camões Zeca Afonso, também adoro a canção na voz desta Galega que muito aprecio, sei que Ela vai estar esta semana em Lx :)

Beijinhos :)
mariam

Fernando Santos (Chana) disse...

Excelente trabalho....
Cumprimentos

OUTONO disse...

MARIAM

...um prazer ler as tuas palavras...sempre!

Beijinho.

OUTONO disse...

FERNANDO SANTOS ( CHANA)

...como um incentivo, para a minha lavra...

Abraço!