My music...

https://youtu.be/IhAFEo8DO2o

segunda-feira, abril 04, 2011

Poema azul...


Este poema que te dou, no meio do teu olhar azul

É o todo de uma escrita ao teu redor

Onde procuro e encontro a calma de um desejo...

Onde semeio o querer, sem hesitar e digo-te...

O acto perpétuo de cenários mágicos e sonhos.

A resposta, é sempre um mar de sorrisos cúmplices...

Onde mergulho sereno e seguro!

in MOMENTOS - by OUTONO - 2008

Reposição de um poema, por aqui editado em Julho / 2008

NOTA:

Ouso abrir um pouco, "Da janela do meu (a)Mar".

Último poema do meu próximo livro, a convite de "EDIÇÕES VIEIRA DA SILVA".

20 comentários:

Maria disse...

E porque gosto do teu azul deixo-te um beijo...

Sonhadora disse...

Meu querido Poeta

Como é bom mergulhar nesse mar sereno...ser onda no infinito.

deixo um beijinho
Sonhadora

JPD disse...

Belo.
Parabéns.
Um abraço

mariam disse...

OUTONO,

belo o poema, as fotos...
O livro!PARABÉNS!Felicidades e votos do maior sucesso!

beijinhos :)
mariam

OUTONO disse...

MARIA

É neste azul mar...que conto com a tua amizade sincera.

Um forte abraço!

OUTONO disse...

SONHADORA

Obrigado amiga, pela simpatia aqui expressa.

Beijinho

OUTONO disse...

JPD

Um grande abraço e um obrigado sentido, pela tua amizade.

OUTONO disse...

MARIAM

E nem todas as fotos ou palavras, chegarão para agradecer o carinho e simpatia, que me dispensas, desde longa data, por aqui neste cantinho virtual.

Beijinho

Justine disse...

Começo por te saudar, e deixar-te um abraço de parabéns pela próxima edição. Que vai ter muito sucesso certamente!

OUTONO disse...

JUSTINE

Com carinho, agradeço e gostaria muito (desejaria), que estivesses presente.

Beijinho

MeuSom disse...

"Da janela do meu (a)Mar"
inquietante nome.

sempre a nossa poesia se escreve em redor de passos, dos passos que queremos.
e subitamente os passos atropelam-se pisam nas palavras, dispersam-se as letras e volta a inquietação como se o sentir fosse um vaso de porcelana que se quebrou de novo, e de novo há que pegar nos cacos e voltar a colar.
gosto da serenidade deste poema azul, do escorrer delicado do sentimento.
deve ser doce de ler, esse teu próximo livro.
reparei que publicaste video novo.
é... enquanto "a paz estiver aprisionada"...
será que algum dia a soltarão?!...
Beijo, OUTONO.

OUTONO disse...

MEU SOM

Há um comentar poema nas tuas palavras, quando fazes analogias de um sentir.
É esse correr do nosso almejo em vielas ébrias, que apesar de sonhadas comandam ou descomandam a vida. Cacos, que se colam, até até à milésima partícula, numa tentativa de ser puro, como original e recusar aditivos ou peças de "puzzle" diferentes, mas que se encaixam....e se aceitam injustamente.
É o interior que expresso neste novo livro, onde procuro um abrir constante de janelas na ânsia de um sol de sorriso permanente, como sorte justa.
Por isso digo na sinopse da contracapa....: "é um tributo ao Amor, o relógio da vida e, ao Mar a mais bela força da natureza, mesmo zangado."
Beijinho.
Nota: Lançamento a 14 de Maio/2011, Museu da Água - LISBOA

Justine disse...

Lembra-me p.f. a data e o local...

OUTONO disse...

JUSTINE

Figura na lateral direita do Blog, mas lembrarei...amiga.

Beijinho

Pena disse...

Precioso Poeta de Excelência:
Há quanto tempo.
Já tinha saudades de si e do que escreve de nmravilhar e fascinar.
"...Onde procuro e encontro a calma de um desejo...
Onde semeio o querer, sem hesitar e digo-te...
O acto perpétuo de cenários mágicos e sonhos.
A resposta, é sempre um mar de sorrisos cúmplices...
Onde mergulho sereno e seguro!..."

Um poema delicioso e perfeito feito pela sua magia e enternecimento fabuloso e perfeito.
Bem-Haja, pelo seu fantástico talento poético sublime.
Abraço amigo.
Apareça sempre, é uma honra.
É brilhante e notável.
Com respeito.
Sempre a admirá-lo

pena

Excelente!
É admirável.
Parabéns inceros.
Adorei.

MeuSom disse...

Eu sei Outono,que por vezes me excedo no meu voar nas palavras "dos outros", venho pedir-te desculpa por isso. Sou impulsiva, tu sabes, tenho alguma dificuldade em trancar as palavras se elas me chegam teimosas e desordenadas (o que é ainda mais grave) :)
Gostava de ler o teu livro, e estarei lá, no museu da Água se nada me impedir.
Obrigada.
Beijo.

OUTONO disse...

PENA

...que saudades, com muita razão. O mundo tão pequeno e o tempo tão curto, que as manhãs decorrem e, quando acordamos é noite...
Maravilhado com o seu comentário, resta-me agradecer a sua amabilidade e amizade coerente.
Um forte abraço.

OUTONO disse...

MEU SOM

Um obrigado sincero, pela presença.
É ( será) um prazer!

Canto da Boca disse...

Não sei se me perco em meio aos azuis da paisagem, ou no mar poético que foi tão bem construído. Melhor seguir sonhos!

;)

OUTONO disse...

CANTO DA BOCA...


Sorrio...e digo que gostei de ler...

Beijinho!