My music...

https://youtu.be/IhAFEo8DO2o

terça-feira, junho 10, 2008

A escrita...



Paisagem com céu
autoria de Jackie Simmonds


A escrita...pode ser uma vida de muitos momentos...

Cada vez, que me debruço sobre o papel, a ansiedade de o encher com o azul da minha escrita, avoluma-se. Entendo, por esta alteração comportamental, a responsabilidade de criar, ser diferente e, até projectar...o que me vai na alma.

Não é fácil. E até complicado fica, quando corrijo os traços das letras, tentando conjugá-los com harmonia pessoal.

Quantas vezes, depois de um esforço de imaginação, de intenso cuidado redactorial, por entre quebras de sossego e saídas à cafeína...regresso pleno de contradições e, os papéis "bailam" como bolas de trapos, direitos ao cesto dos papéis.

Neste minuto de contorcionismo dos dedos das mãos, ao deitar fora, horas de pensamentos...tento sorrir e imaginar um jogo, que pratiquei, entre outros, na mocidade escolar. O Basquetebol ("tradução" literal) ou o Basket, versão mundial de Bola ao Cesto. E...lá vai uma...duas...três...esfarrapadas bolas de papel, tingidas pelo azul da velha, mas muito amiga e profissional caneta.

Nesta "brincadeira de adulto"...porque não? - faço a "limpeza de disco" necessária ( como diriam as minhas filhas) para olhar o zero do arranque...e não desanimar...

Tenho para mim, que a vida, é uma constante de ensinamentos. Mesmos os piores momentos, poderão ser índices de bons momentos, no futuro...

Tal como este Blog...um desafio forte, perante uma vontade inicial...crítica...por falta de tempo?!

Hoje, meditei sobre o acto de escrever, partilhar e ficar na expectativa de leitores poderem aceder ao meu convite ( mais de dois mil, em quatro meses mal contados...).

Muitos pensarão... - hoje o Outono secou, por falta de imaginação e, escreveu-nos filosofia. Sorrio...

Filósofo não sou,
Poeta muito menos...
Apenas escritor...
De momentos provocantes
Onde, a sede de gravar no papel
Confissões e amores próximos,
É mais forte,
Que a escala dos sismos...

by OUTONO (10/06/08)

54 comentários:

Vieira Calado disse...

Muito do que diz, também se passa comigo.
Um abraço

JPD disse...

Não tenho a mais pequena dúvida que já leste os autores consagrados a queixarem-se do mesmo: não apenas a tirania da folha em branco, mas, sobretudo, o trabalho que o primeiro esboço recebe até que a qualidade garanta edição.

Relativamente ao blog, o que eu acho é que ele deve ser alimentado por edições que nos tenham dado prazer a preparar e as exigências de qualidade, inovação, etc. são uma resposta, primeiro, pessoal e depois pública quando a edição se consumou.

O teu blog tem qualidade, evidentemente, mesmo que fosses tudo o que negas não ser.

Um abraço

OUTONO disse...

Vieira Calado

Grande amigo. Fico mais tranquilo. Parece ser uma "doença" geral...esta força de colocar harmonia escrita no papel...nos seus impulsos iniciais.

Obrigado pela sua presença.

Um forte abraço

OUTONO disse...

JPD

Desculpa-me, este pormenor...estas iniciais fazem-me lembrar um ex-colega que gostava de ser assim tratado...

Ao encontro do teu comentário...fico ...mais responsável!

Só assim posso responder com naturalidade.

Obrigado, pelo "empurrão", e pelo cessar de dúvidas , nesta problemática faceta de escrever por gosto imenso. Partilho, aliás a tua opinião do segundo parágrafo.

Quanto ao terceiro...continuarei a tentar, se bem que um pensador da velha Espanha, Sanchez Julià disse um dia...que o hábito de ter sempre qualidade pela frente...não pode ser colocado em causa perante uma quebra da dita...em determinado momento.

Mas se assim suceder...alerta-me por favor.

Um forte abraço

mariam disse...

por mim... é Poeta...Sim!

gosto de vir aqui...

resto de boa semana
um sorriso :)

OUTONO disse...

Mariam

A sério?

Obrigado muito do fundo, por essa distinção.

Mas, poeta não sou e não serei
Neste mundo da magia da escrita
Quando muito, pela língua lutarei
Nem que tenha de custear a dita!

Beijinho, boa semana.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Lindo, nada a comentar, só ficar de queixo caído... Postei 2 coisas num post só. Vá lá, preciso dos seus comentários.
wwwrenatacordeiro.blogspot.com/
não há ponto depois de www
Um beijo,
RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO
RS: GOSTO DO SEU BLOG. QUANDO ESTIVER CANSADA, VIREI AQUI PARA RELAXAR!

MirMorena disse...

Dizes que não és poeta?

Poesia é quando uma emoção encontra seu pensamento e o pensamento encontra palavras...(ad)

Te sinto como emoção pura...

Bjusss de carinho

BIA disse...

"...a sede de gravar no papel...É mais forte,
Que a escala dos sismos..."

Abraço

circe disse...

A escrita...pode ser uma vida de muitos momentos...
A escrita... pode ser os momentos de uma vida...

A escrita pode ser... tudo o que quisermos... amante, amiga, companheira, ou simplesmente o nosso maior segredo... o nosso mais íntimo momento

circe disse...

Gosto da tua "escrita", do teu mais "íntimo pensamento"... Gosto!

Angel of Light disse...

Olá querido Outuno com cheirinho ao Azul do Verão que parece ter trazido as malas para ficar... A ver vamos.

Gostei muito do que escreveste. Relataste muito bem o que é a nossa vida, a nossa missão neste planeta. Gostei da analogia!

Adorei esta parte, como não podia deixar de ser: "Tenho para mim, que a vida, é uma constante de ensinamentos. Mesmos os piores momentos, poderão ser índices de bons momentos, no futuro..."

Tudo o que nos acontece não é por acaso, já uma vez te disse isso. Todos os nossos bons menos momentos, são desafios que nos propusemos a ultrapassar. Todos eles são oportunidades de aprendizagem. Há sempre algo de bom a ser retirado, nem que mais não seja no futuro, como tão bem dizes!

Já tinha saudades de andar pela tua estação do ano...

Beijinhos de Amor, Paz e Luz!

Carla disse...

como te entendo! essa ansiedade de dar a uma folha em branco algo de nós...essa sensação de que naquele espaço conseguimos ser nós próprios sem as limitações e os constrangimentos de outras situações
...e que bom que foi ler a tua meditação amigo
beijos em escrita

Canephora disse...

E é no outono que a pena se me avoluma na mão, deixando pingar aqui e ali, manchas de tinta com que escrevo sentimentos...
palavras de poeta que não sabe porque chora, e fingindo se enamora da luz do entardecer.
E no frio do inverno
me aquece o que escrevo.

Escrevo porque quero,
escrevo porque me apetece,
escrevo porque sinto
ou nem por isso, escrevo apenas...
e enquanto escrevo nasce em mim a primavera...
e na cor das flores e do seu perfume, volto a escrever
sem pressa
sem tempo
e espero pelo sol que me aquece a alma...
espero o verão
que brincando na areia da praia me bronzeia a pele...
e enquanto aqueço...
escrevo.

pin gente disse...

secou?!? eu não diria!
somos os mais fortes críticos de nós mesmos, não?
apaga, rasga, agora temos o delete


abraço, escritor de momentos provocantes
luísa

OUTONO disse...

Renata.


Bonita expressão...de queixo caído.

Obrigado do fundo pelo excelente teor crítico, da tua presença.

Beijinho.

OUTONO disse...

Mirmorena

Há várias formas, para definir um poeta...

Gosto muito de escrever...mas poeta não sou...apesar de gostar de construções poéticas, e ler poesia.

Beijinho.

OUTONO disse...

Bia

Tão forte...que por vezes...apetece fugir!

Mas regresso rápido!

Beijinho

OUTONO disse...

Circe

E eu gosto de te ter por aqui.

Na verdade das tuas palavras, bebo uma calma apaziguadora.

Beijinho.

OUTONO disse...

Angel

A tua luz...a nossa luz.

E...por vezes quanta falta de luz (leia-se criatividade) para escrever o nosso íntimo, o nosso querer.

Obrigado, pelo teu fascinante comentário. É uma luz brilhante.

Beijo

OUTONO disse...

Carla

Como te entendo amiga.

Colocar palavras, num jogo de sedução primeiro pessoal, depois de quem as ler...

Fico-me por aqui...agora neste comentário...escrevia um prefácio...:)))

Beijinho doce

OUTONO disse...

Canephora

Mil obrigados, por esta sinfonia perfeita das quatro estações.

Sinto-me honrado, com a tua presença.

Um abraço

OUTONO disse...

Luísa

Tinha saudades tuas...pensei que tinhas feito "delete"...quem sabe para férias...

Obrigado, pelo calor de "gente com pin cultural" ...É uma honra!

Beijinho...doce.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Voc~e falou que ue podia vir, então eu vim. O poema é lindo! Você é de Paris? EStuda ou trabalha lá?
Sabe que prefiro Portugal. Aliás, amo Portugal, amo Lisboa, viveria aí tranqüilamente. Já no Porto não moraria. Há um consenso que diz que São Paulo se assemelha com o Porto e o Rio de Janeiro com Lisboa. Não acho, pois se assim fosse não gostaria tanto de Lisboa, já que não gosto muito do Rio. Mande notícias. Quero saber por que voltas a Paris.
Um abraço,
Renata Cordeiro

mdsol disse...

é poeta sim senhor
digo eu, sem um senão
porque é um pensador
e dá voz ao coração!

:))

fadazul disse...

é AMIGO, A INSPIRAÇÃO É UM "DOLOROSO" E LINDO PARTO, NO FINAL NOS ACALMA E TUDO VOLTA AO NORMAL, ATÉ QUE A PROXIMA VENHA! LINDA POSTAGEM, BJKS

Maria Flor disse...

A escrita é uma vida de momento...Quem escreve sabe bem disso.
Sim podes não ser um poeta ou um escritor que escreve livros mas com toda certeza sua alma é de um poeta e dos bons!Adorei o q li...Parabéns!

Maripa disse...

Oh,querido Outono!Dizeres que não és poeta ... as tuas palavras são, sempre,tão cheias de sabor e sensibilidade!

Sinto-me tão bem aqui...

Beijo com muito carinho.

circe disse...

sabes o mais curioso... é que costumo ter esse efeito nas pessoas amigas... "calam e apaziguadora" que contradiz o que sou também... um furacão

circe disse...

não é calam é calma.... ups...

NAELA disse...

Outono a tua escrita mesmo que ausente perde-se em mim, quer na excelente escolha de textos que da cor a um espaço vazio!
Ler-te é navegar num mar de tranquilidade e deixar-me beijar pelos teus versos!
Parabéns!
Beijo na tua escrita

Ni disse...

Cucu!

Estou viva :D

Devo dizer que Adoro vir-te visitar e ler-te! O Outono não secou porque é Poeta!

Passa pelo Consciências! Tens lá uma distinção!

Um bejinho muito grande**

Azul disse...

Olá Outono!

É curioso... em alguns blogs que leio parece que o sentimeento é comum. Eu própria me sinto assim.

As palavras andas tão preguiçosas que até o comentar as pessoas que gosto tanto de ler e acompanho sempre parecem não querer sair.

Mas... é como escreves:

"... a sede de gravar no papel (...) é mais forte..." e quando assim é... escreve-se assim... como tu escreves.

Beijo terno
Azul

mundo azul disse...

...reflexões! Sinceras reflexões... Do pouco que li, daquilo que você escreve, gostei muito! Para quem tem o dom da escrita, ela é uma verdadeira terapeuta...
Beijos de luz e um dia muito feliz!

:: Daniel :: disse...

Também tenho esssa sede de escrever meus sentimentos.

Abraço!

Juani lopes disse...

si el señor me lo premite, yo diria que poeta si es.
porque escribe lo que siente
y siente lo que escribe
saluditos

EDUARDO disse...

Rascunhos e mais rascunhos até chegarmos a frase pretendida! Sei bem amigo, sei! Um forte abraço!

Paradoxos

OUTONO disse...

Renata

Minha cara, o meu Blog está sempre aberto...

Gostei de te ter por cá neste cantinho da minha criatividade.

Deixa-me adiamtar, que moro em Lisboa, e viajo muito, por motivos profissionais, daí ter referido Paris. Mas são muitos os destinos das minhas rotas...e curiosamente não conheço o Rio...

Obrigado pela citação do teor comparativo entre o Porto e S. paulo e Rio e Lisboa. Desconhecia.

Vou tentar averiguar porquê.

Um beijinho.

OUTONO disse...

MDSOL

Não sou poeta não
Nem penso ser como tal
Mas se a tua voz tem razão
Habilito-me a ser tal e qual...

Beijinho.

OUTONO disse...

Fada azul

As tuas palavras são sempre um toque mágico de beleza e cativantes.

Muio obrigado.

Beijinho.

OUTONO disse...

Maria Flor


Mil obrigados. Um segredo...tenho livros escritos...não publicados...

Até já publiquei um...por minha conta...perdi-o!!!!

OUTONO disse...

Maripa

Disse em segredo às minhas palavras, o que me disseste aconchegadamente aqui...ficaram tão felizes!!!

Beijinho muito amigo.

OUTONO disse...

Circe

Todos nós temos altos e baixos...e às vezes parecemos o contrário em ambas as leituras...

Beijinho.

OUTONO disse...

Naela

Dizes:

"Ler-te é navegar num mar de tranquilidade e deixar-me beijar pelos teus versos!"

Digo: caí, pela tua doçura.

Estou...acredita ...sem palavras.

Beijinho muito grande. Um Xi muito apertado.

OUTONO disse...

Ni

Já passei pelo teu Blog. E...este E... não me sai da cabeça. Mil obrigados pela tua distinção, pelo teu carinho.

Por favor, elucida-me...tenho agora de nomear quantos Blogs, que "considero" (são tantos) estarem à altura deste E ?

E visita-me sempre. Deixa um bilhetinho, caso não me encontres...Eu faço o mesmo.

Beijinho com ternura.

OUTONO disse...

Azul

Obrigado, pela solidariedade.

E...como sabes, quem gosta de azul, tem dificuldades acrescidas...o azul além de nobre...é exigente.

Beijinho.

OUTONO disse...

Mundo azul

A escrita...a escrita, e as formas que se dão, para que a escrita aconteça...

Não é fácil.

Volta sempre. Beijinho.

OUTONO disse...

Daniel

Ainda bem...amigo!

Fico sempre mais agarrado a esta "luta" de escrever, ao saber-me não só.

Um abraço.

OUTONO disse...

Juani Lopes

"...porque escribe lo que siente
y siente lo que escribe"

Me encanta lo que sientes...

Gracias amiga

Saluditos

OUTONO disse...

Eduardo

Eu sei...vejo a tua escrita (também) com muitos ensaios prévios.

Um forte abraço. Mil obrigados.

Jeff disse...

Caro outono,

Se ao secar vc nos traz uma filosofia dessas, não nos importa em que fase estás, pois sempre vem com surpesas e bons textos.

Escrever é méritos para poucos. E vc como poucos sabem muito bem tingir o papel de forma bem harmônica.

Não importa quantas cesta vc faz ao deixar de lado alguns escritos. O que realmente importa é que com estas cestas, no final sempre sai algo produtivo, algo que ajudem alguém, algo que faça alguém refletir ou então que nunca tenha atentado para a tal idéia exposta.

Outono ...
Escritores por mais que não escreva nada que lhes interesse e seja apenas por passar o tempo, as suas palavras pesam muito masi que apenas uma filosofia barata.

Então ... pode ficar tranquilo que secar nas idéias acho que não irá chegar a esse ponto!

OUTONO disse...

Jeff

"Não importa quantas cestas vc faz ao deixar de lado alguns escritos. O que realmente importa é que com estas cestas, no final sempre sai algo produtivo, algo que ajudem alguém, algo que faça alguém refletir ou então que nunca tenha atentado para a tal idéia exposta."

Não resisti, retratei aqui um pouco das tuas palavras. Para além de amigas, estão repletas de significados muito íntimos, e de uma análise ímpar.

Gostei de as ler. Sinto-as capazes de me proibirem alguma secura de criatividade...

Mil obrigados. Um abraço.

QuartoCrescente disse...

Estive aqui... vim visitar-te, "ler-te"...Mas foi neste post que mais tempo demorei... penso que sabes porquê...

Beijo

OUTONO disse...

Quarto crescente

É sempre bom, ter amigos...e leitores amigos.

É um fascínio, produzir e termos receptores.

Julgo poder entender o teu pensamento...mas poderás explicar melhor, caso o entendas...

Beijinho.