My music...

https://youtu.be/IhAFEo8DO2o

terça-feira, abril 12, 2011

Compasso...



No lento correr de um sentir em compasso
Há uma forte tempestade de acertos regulares
Em acentos caligráficos e ventos redactoriais
Onde apenas cabe a iconografia da certeza.

Agita-se o calor do forno do molde suave
Atiça-se a vontade de um mimo constante
Anseia-se na prova do longe preferível perto
Agudiza-se a perfeição da verdade sem reparo.

Ímpar parece ser o resultado duma adição em torpor
Folha não caduca de árvores de raízes vida sol
Leituras sempre carentes de rogos desejados.

Pouco ou nada a confundir na confusão natural
Pouco ou nada a discutir na discussão normal
As diferenças até se aplaudem, menos impor diferença!

in MEMÓRIAS - by OUTONO - 2011






10 comentários:

Hugo de Macedo disse...

Genial. Gosto da melodia das palavras.

Evanir disse...

Boa Tarde..
Venho conhecer seu blog atravez do amigo e Professor (Pena)um dos homenagiados no meu blog.
E juntamente com um poeta Portugues..
Foi atravez do gosto que sempre tive pelos poemas portugueses e Portugal fui me envolvendo com blogueiros do seu maravilhoso Pais.
Convido a conhecer meu blog sera um prazer enorme receber sua visita.
beijos ,Evanir.
www.aviagem1.blogspot.com
E
www.fonte-amor.zip.net

Mar Arável disse...

Quando as palavras se libertam

acontece poesia

Canto da Boca disse...

Quando duas ou mais substâncias se encontram, a explosão é quase cert@! Se não houver nada, se não resultar em nada, nadinha, nenhum impacto, então não houve encontro... Penso eu.

tecas disse...

Genial soneto " compassado", num compasso de palavras melodiosas.
«Ímpar parece ser o resultado duma adição em torpor
Folha não caduca de árvores de raízes vida sol
Leituras sempre carentes de rogos desejados.»
E por estas leituras, deixo uma vénia!
Bom fim de semana, numa saudação poética.

OUTONO disse...

HUGO

Obrigado...fez-me bem ler esta mensagem.

Um abraço!

OUTONO disse...

EVANIR

Amigos de amigos meus, meus amigos são. Tenho um respeito e admiração enormes, pelo amigo Pena.

Este Blog está aberto...e é seu também. Será sempre um prazer receber as suas palavras.

Já visitei o seu Blog, e considero-o muito bem estruturado.

Um beijo.

OUTONO disse...

MAR ARÁVEL

Tento sempre que as palavras se libertem no dizer da escrita...o voo da mensagem , julgo, será mais intenso e apelativo.

Um abraço

OUTONO disse...

CANTO DA BOCA...

Ecos de encontros ou desencontros, numa ficção que pode ser real...

Um abaraço!

OUTONO disse...

TECAS

A vénia pertence-me, perante esse sentir por aqui descrito...

Grato! Muito!