My music...

https://youtu.be/IhAFEo8DO2o

sábado, maio 15, 2010

Nas pedras roliças da praia…

Pequeno extracto ...de um conto ensaio...




Nas pedras roliças da praia…olhava o beijo das águas…num constante abraço…feito vida “ad eternum”.

Mesmo ao lado, no seco espaço areia , um chorão ainda não tinha acordado…e libertado o odor da flor fascínio…no eclodir de um sol a medo.
Aconchego o passo…e, extasio-me num estuário desconhecido…onde navegam epopeias de gerações feitas, de e no mar. Pergunto-me constantemente…onde reside a beleza eterna desta tela natureza?

Apenas o ruído de uma gaivota em fuga…cantando amores de um ninho deixado à pressa…me obriga a olhar o céu melancólico…onde as nuvens nem hospitalidade oferecem.




Mãos nos bolsos, máquina de fotografias ao pescoço…recordo ainda as últimas notícias …agravantes de um sistema…cada vez mais deficiente.

Refresco-me na fonte que brota sem jeito da falésia…e, sorrio ( o primeiro do dia ) a água é doce….com sabor a beijo fresco. Lavo as mãos…borrifo o olhar…e enleio os cabelos já grisalhos…num pentear quase tique.

Não me apetece fazer nada…e, tenho tanto para fazer. Chego-me junto das águas cadenciadas…e. apetece-me descalçar…entrar mundo dentro deste mar amante…e. deixar-me afogar nas carícias envolventes de águas sedentas de corpos. Sento-me na areia húmida…descalço-me…arregaço as calças…deixo-me cair e só o bater seco da máquina na areia me desperta. Lanço o habitual….BOLAS!!!! …..e seco-a de imediato. Quase que me apetece beijá-la. Em pouco tempo transformou-se na minha amante curadora de memórias, que ouso chamar minhas. É como roubar ao envolvente…o direito de privacidade.



Neste “falar” interno, neste monólogo forçado, nem me apercebo da tua chegada. Não me falas…não dizes nada, olho-te e vejo-te uma lágrima…correr no rosto. Apresso-me a secá-la com um beijo doce como sempre…e, uma pétala silvestre de um malmequer branco…faz-me uma cócega…e deixa soltar um “desatinado” segredo:

- Como é que queres beijar a saudade?

De braços caídos…sorrio-lhe…e, agarro-a quase em força. Retenho-a na mão fechada…depois deixo-a respirar…abrindo vagarosamente a mão. Ouço outro segredo…::

- Queres-me levar ?

Perante o meu acenar afirmativo…

- Muito bem. Coloca-me na página do livro, que ainda não escreveste…sonha que um dia serás escritor de sonhos…enquanto sonhares…e, seca-me a cor…nunca o odor…

- Muito receoso…pergunto:

- E posso chamar-te... amor?

- Podes…se o soletrares muito devagar…

- Porquê ?

- Para teres tempo …




in MOMENTOS - by OUTONO - 2010

28 comentários:

cristal disse...

Outono

Que momento de imensa e intensa beleza!!!
Tão emotivo!
Fiquei completamente sem palavras...(e incapaz de conter umas lágrimas)

Obrigada por tão bela partilha.

Aquele Abraço
e
Bom domingo

mariam disse...

OUTONO,

momentos de pura poesia, neste teu texto ... seja ele conto, ou tenha alguma realidade aí expressa, é lindíssimo! Parabéns! Venha a continuação sff :)
As imagens a que já nos vais habituando são lindas também!

Bom Domingo e melhor semana
um abraço e o meu sorriso :)
mariam

OUTONO disse...

CRISTAL

...perdoa-me a emoção.
Obrigado pelo "escrever sentido" que me chega!

Um beijinho.

OUTONO disse...

MARIAM

Nesta prosa/poesia...que embelezas com as tuas palavras, há um eco vindo do fundo do mar...o melhor ambiente natureza do meu olhar.
As minhas fotos, são apenas esse olhar, que tento perpetuar, num simples momento onde "roubo" o que vejo...
Sabê-las, do teu agrado...é um sorriso que me conforta...sabendo que és uma apaixonada pela arte da fotografia.
Quanto à continuidade do conto...talvez um dia...gostaria muito!

Um beijinho.

Vieira Calado disse...

Apreciei o seu texto,

meu caro!

Um abraço

Ailime disse...

Amigo Outono,
Simplesmente belo. Há algum tempo que não vinha lê-lo, embora o seu Blog seja um dos que mais aprecio.
Gosto de ler com calma, saborear, porque o que escreve é lindo, romântico, sem ser "lamecha", desculpe-me a expressão.
Há muitos amigos que não tenho visitado com tanta frequência mas que estão sempre presentes...
Os afazeres...
Muito grata por este sereno e lindíssimo momento.
Grata por também gostar de Pessoa.
Deixo-lhe um beijinho.
Ailime

Desnuda disse...

Querido amigo,

aqui sinto as emoções mais ternas! Amor, ternura, este carinho imenso com real emoção. E tudo o que o amigo escreve vai de encontro aos nossos corações, sonhos e anseios. De forma que ficamos envolvidos na frequência dos seus sentimentos e do que escreve, sempre de uma forma perfeita. Obrigada.


Carinhoso beijo e excelente semana.

OUTONO disse...

VIEIRA CALADO

Fico contente com a sua simpatia, que muito me honra.

Obrigado.

Um abraço.

OUTONO disse...

AILIME

Neste encontro escrita/leitura, há sempre um mundo de emoções, um mundo de surpresas.

O seu cometário insere-se nas últimas.

Nas surpresas sempre agardáveis e recheadas de um prazer ímpar, permita-me agradecer este "confortoo" que acabo de ler.

Como deve calcular, fico sem palavras...

Um obrigado do fundo....

Um beijinho.

OUTONO disse...

DESNUDA

Que pena esta separação Atlântica, não permitir o abraço /obrigado, deste carinhoso comentário, perante o qual tentarei não desiludir.

Beijinho

MagyMay disse...

No inicío a leitura, só...
...depois a comunhão.

Gostei, tanto

Denise disse...

Há emoções que quando verbalizadas perdem a energia.

por isso ler você só (muito me faz) SENTIR

e sinto!

afagos

Maria Clarinda disse...

Maravilha, foram momentos deliciosamente mágicos. Obrigada por eles amigo! Jhs

G... disse...

,,- Como é que queres beijar a saudade?,,
No meio de tanta beleza.... como se beija a saudade?
Tenho saudade. De mais.
Fico alerta. Espero o resto...
Beijinho amigo

Nilson Barcelli disse...

Pelo extracto dá para ver que é um belo ensaio.
A narrativa é excelente, parabéns.
Abraço.

mundo azul disse...

_________________________________


...lindo, lindo, lindo!!!

Que bom ter vindo aqui e lido seu maravilhoso texto...


Beijos de luz e o meu carinho!

_______________________________

OUTONO disse...

MAGY

...e eu também, dessa comunhão que me honra.

OUTONO disse...

DENISE

Obrigado...pela simpatia.

OUTONO disse...

CLARINDA

Há sempre magia na palavra...em cada letra...em cada escrever...

Beijinho

OUTONO disse...

G...

Quando o beijo é desejo...o horizonte ( saudade) é face carente...

Talvez volte a este texto, num continuar...vestido de mar....

Beijinho

OUTONO disse...

NILSON

Obrigado amigo. Era o impulso necessário....

Um abraço

OUTONO disse...

MUNDO AZUL

E o azul da minha alma...ficou mais céu horizonte...

Beijinho

pin gente disse...

aqui também arde um sonho, outono!
na tela natureza as cores não perdem vigor, ao sol, à chuva, à luz da lua...
é bom soletrar lentamente quando nomeamos o (nosso) amor.

tudo lindo!
fotos maravilhosas
abraços mil
luísa

Vieira Calado disse...

Devagar, sim!

Para ter tempo.

Por que temos pressa de viver!

Um abraço

OUTONO disse...

PIN

A luz do teu comentário...fez-me acreditar...nestes momentos de escrita...

Beijinho

OUTONO disse...

VIEIRA CALADO

Li devagar...e corri a comentá-lo...

Um abraço

A Luz A Sombra disse...

Gosto disto...!
Belas imagens... belas palavras...!
A Luz A Sombra

A Luz A Sombra disse...

"Como é que queres beijar a saudade?"


Lindo... eu tenho pena de não saber...!

A Luz A sombra