My music...

https://youtu.be/IhAFEo8DO2o

domingo, outubro 25, 2009

Diário de um dia ...continuação



…quando cheguei a casa, com cinco minutos de atraso em relação à meia hora prometida…tinha um miminho à espera. Em cima da mesa, num ambiente envolvente de Mozart, o meu chá preferido – Imperador.

Sorri, aproximei-me e beijei-lhe os cabelos sempre sedosos e compridos.

- Olá…desculpa o atraso…mas ainda tive de tirar umas fotografias ao poço abandonado da quinta da serra…



- Tu e a fotografia…a mim nem me fotografas…não me ligas nenhuma…

- Como te atreves…a dizer ... que não te ligo nenhuma, depois daquele episódio…estou aqui… não estou?

- Desculpa…dá-me um beijo doce…

- Primeiro …tenho de beber chá…estou a precisar…
Que bom …foste ao pormenor da caneca preferida…oferecida por uma mulher apaixonada…
" Eu sou do tamanho do que vejo... E não do tamanho de minha altura."

- Tens de me explicar o teu fascínio por Fernando Pessoa…

- Não será melhor... Alberto Caeiro?

- E o beijo…”tá” difícil…. ???

E o momento aconteceu. Nunca tinha sucedido, falarmos de lábios colados. Exercício exigente, mas compreensível. Ninguém queria desistir.

- Amor…

- Sim ainda sou o teu amor…depois da tormenta…!!!! Aliás, o amor nasce forte e demora a desaparecer…esquecer... é melhor!

- Ainda não esqueceste….e tens razão. Toda a razão! Olha… o Outono tem destas influências…a queda da folha, as primeiras chuvas, o cair da temperatura…

- Não me digas que o Outono foi responsável, pelo desentendimento…

- Não…estou a brincar…mas reconheço que tens razão…pequenos nadas e ficamos sentidos…

- Achas que….?????

-Desculpa…já pedi. E é bom seres sensível. É sinal do teu amor…do teu pleno amor…obrigada por existires!!!!!!!

-Vá….e tu aprende a ser mais apaixonada…

-Feitios…diferenças…mas eu amo-te!

Com todo o fulgor de um abraço e sucessivos beijos pacificadores…o tempo passou rápido e a noite caiu. Do pouco de reserva no frigorífico, inventei uma refeição rápida de massa verde com molho bechamel, cogumelos , fiambre e camarões. Duas romãs brancas…e um chá de frutos vermelhos. Uma salada de agriões…e uma escapadela ao quintal, para roubar um limão suculento…e ainda restava um pouco de queijo Feta.

Na cozinha…incendiou-se a lareira, ainda activa com as brasas da manhã. Enquanto comíamos, os nossos olhos cruzavam-se em espelhos sucessivos de felicidade.

Num acto muito simples, mas romântico, puxou de um envelope e disse-me:

- Lê…queria escrever-te uma carta de amor, mas não fui capaz…

Numa caligrafia difícil, mas redonda e quase simétrica…um pequeno texto:



- Meu amor
Amo-te desde o raiar da manhã até ao pôr-do-sol … e o hiato entre esses dois tempos, é preenchido pelo sono e o sonho (que teimosamente não se deixa lembrar...nunca me lembro dos sonhos) onde lá terá o amor, o meu amor por ti… sido nele, também uma constante … tenho a certeza…

Um beijinho apaixonado.

Tua


Sorri…e agradeci...com um beijo carícia.

- Lindo. Esse teu dizer..

- “Bigada”

Disse num tom mimado, típico de quem se sente feliz. A refeição terminara, o café servido na sala de estar contígua ao lancil da escada dos quartos…e enrolados na velha mas quente manta comprada na Estrela…há muito tempo… (ainda era jovem)…cobria-nos os corpos colados de saudade.

- Meu amor… amanhã…tenho de ir a Lisboa. Tenho uma reunião, onde não posso faltar.

- Mesmo em férias…estás de serviço…

- Pois é…tem de ser.

- Posso ir contigo?

- Podes…mas não preferes ficar a descansar? Tens uns dias de férias…fica por aqui! Eu dentro de dois dias regresso…

- Nem penses…vou contigo…deixo o meu carro aqui…e depois regressamos. Sabe tão bem viajarmos de mão dada…

No enleio da noite, o CD repetia Emma Shapplin…enquanto falávamos do nosso futuro, nos beijos sempre mel de cada “parágrafo”.

Quase em forma de birra…mordeu-me o lábio suavemente e disse:

- Não é justo. Eu lembrei-me de ti. Escrevi-te um simulacro de carta apaixonada ( muito reduzida) …assim deste tamanho…e tu…sim tu, que te gabas de escrever poemas só para mim…aliás prometeste-me um livro de poemas só meus, que nunca mais passa do meio…não me escreveste nada, nesta saudade. ???

Sorri…olhei-lhe os olhos amendoados e já quase cobertos de sono…disse:

- Se Vª. Exª. me deixar…vou buscar um “despacho” do meu coração escrito na serra da convulsão…e assim o livro já passa do meio…falta só 49% de poemas…

- Tu queres …é ver-te livre de mim…deixa-te estar…é tão bom saborear o teu quentinho…e eu não me quero zangar…não escreveste nada! Mas eu perdoo-te! Aliás tens razão por teres ficado zangado…

- Agora vou ficar novamente …não acreditas que te escrevi um poema?

-OK! Vou declamá-lo….




Eu amo-te
Flor do meu perfume
Jardim do meu olhar
Corpo do meu perder-me
Beijo da minha sede
Abraço mar bonito
Amor segredo puro
Vontade sempre
Canto a um só…
Amor!

- Querido, meu anjo…tens uma mente prodígio. Aliás, adoro-te por seres quem és…mas inventaste agora esse poema…que é LINDO!!!!!!! Não o escreveste! Não inventes…já paravas!!!!!!!

- Ups!!!!…desvia um pouco…estás “pesadita”…sabes? Aqui está a folha dobrada em quatro do poema que te escrevi…faz favor de conferir. Mas…e antes que a zanga comece…menti-te…escrevi-o no café do Ti João…não na Serra. Lê... melga…

- Tão lindo!!!!!!!…Amor…perdoa-me…mais uma vez fui insensata…Vamos dormir…vá… toca a aproveitar as poucas horas de sono…amanhã vamos a Lisboa…e enquanto vais para a tua reunião…eu vou tomar um chá ao mar…ao nosso mar…Depois regressamos para o nosso ninho…Amo-te... OUVISTE?





- Fala baixo…os passarinhos já estão a dormir……..

Pequena série de "Diários" publicados - By Outono


48 comentários:

Maria disse...

Tive de ir ler o post abaixo...
Quem sabe no Outono não nascem ou florescem os amores e se faz Primavera?
O pequeno poema que foi declamado ( !!! ) é lindíssimo, cheio de ternura...

Obrigada, Outono. Saio daqui com um sorriso :))

Um beijinho

Natália Augusto disse...

Que belo Diário! Muita emoção, poesia e leveza. Diálogos entrecortados de sentires diferentes e iguais...
Ao lê-lo ficou-me a certeza de que não se trata de um diário qualquer, mas de um Diário de Amor.

Parabéns.

JPD disse...

Registo do quotidiano de duas pessoas a rebentar de paixão.

Equilibrado e sem comprometer a intimidade.

Partilha de afectos a preceito.

Um abraço

AnaMar (pseudónimo) disse...

O amor aceso com a chama da paixão.
Uma carta terna e um poema lindo.
Bjs

Xana disse...

E quem disse que o amor é lamechas ,acertou...e é tãooo bom :)

beijinhos meus

P.B. disse...

Sei que tenho estado em falta, mas tens um presente no meu blog.

Pedrasnuas disse...

É ISSO MESMO...O DIA A DIA DE UM CASAL...UM AMOR BONITO COM ALGUMA EXALTAÇÃO...

UM DIÁRIO DE UM DIA QUE MULTIPLICADO POR OUTROS PRODUZ UM LINDO ROMANCE DE UM HOMEM FELIZ...

BEIJINHO

OUTONO disse...

MARIA

Obrigado por seres quem és, nessa simpatia de pensamento, versus a minha escrita.

Fico contente com o teu sorriso de agrado...e zelarei pela sua continuidade.

Beijinho

OUTONO disse...

NATÁLIA AUGUSTO

Os diários não são fáceis...reportar momentos ou sentires...e colocá-los ali na tela da escrita...poderá ser um sentimento bom ou menos favorável. Depende da vivência. Nesta ficção, tentei ser real...
Obrigado pela simpatia.

Um beijinho.

OUTONO disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
OUTONO disse...

ANA MAR

Conjugar prosa com poesia...não é fácil...muito menos com sentires de amor.

Mas foi agradável o exercício.

Beijinho.

OUTONO disse...

XANA

Sorrio....e soube-me bem este sorrir. Como te entendo...

Beijinho!

OUTONO disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
OUTONO disse...

PEDRAS NUAS

Neste caso amar com amor...a felicidade acontece.

Gostei da tua interpretação.

Obrigado. Um beijinho

OUTONO disse...

JPD

Poderei entender ....com conta peso e medida?

Tentei!

Um abraço

OUTONO disse...

PB

Nunca estás em falta. Apenas um iato...coisa simples.

Obrigado pela consideração e simpatia.

Beijinho

Angela Ladeiro disse...

Histórias de amor, há muitas, todas belas. Esta parece-me das que vão durar toda a vida. Eu tenho uma assim...a preservar esse lindo amor...

OUTONO disse...

ÂNGELA LADEIRO

...talvez, talvez. O diário ainda não terminou!

E parabéns, pela tua história, pela partilha e, pela amizade.

Beijinho

pin gente disse...

reconfortante
terno

é bonito o amor... assim
um abraço e apetece-me pensar que estão de parabéns

Fa menor disse...

Lindas, lindas, estas histórias de amor e vento!

Cris Animal disse...

Passo a passo de um amor que já caminhou tanto e que quer caminhar mais!
Foi o pensamento que me veio.

Amor da maneira simples: uma xícara de chpa quentinha que espera numa hora qualquer, de um dia qualuqer em um outono que não deve esquecer!

Obrigada pela presença no novo espaço!

Helena Paixão disse...

Estou a gostar de ler este lindo romance, tão doce e ternurento.

Venham mais dias apaixonados neste diário!

Bjs e bom fds :-)

cristinasiqueira disse...

E se não fosse por amor acredito que nem o outono seria dourado.
Este frêmito que dilue a luz e tudo vira aconchego.
Linda a história de amor.As fotos serenas...
Amo o jeito de falar dos portugueses.
Amo Lisboa...terras,serras,estrela
E volto...


Um beijo,

Cris


PS- tem novas postagens nos blogs.

Maripa disse...

Como é bom um amor assim...terno,cúmplice,companheiro.
Se se trocam palavras apaixonadas e poemas:
que mal faz um amuo que logo passa?

Beijo,Outono querido.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Olá, rapaz!
Se não me falha a memória, a última vez em que o visitei foi no século passado. Porém, amigos são inesquecíveis e é por isso que estou aqui. Para dar sinal de vida. Apreciei o que li e ousei julgar. Belo. Paro por aqui.
Beijos e Abraços e o Meu Desejo para o amigo Luis de Lindo Domingo com muita Alegria e Satisfação dos seus Anseios,
Renata Maria

Bruma disse...

Ficcão!!!
Uma ficção muito realista diria... pois há amores assim!
Só tenho as minhas dúvidas, quanto à sobrevivência dum amor assim, na vida real...

Enfim, gostei de ler, bjitos

Vera disse...

Eu sou piegas, eu sei... Mas está realmente... tocante! Poeta!!!

Beijo

mdsol disse...

:))))

OUTONO disse...

PIN GENTE

O amor só pode ser bonito...

Beijinho

OUTONO disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
OUTONO disse...

FA MENOR

Ventos que passam de um amor que fica...na lua de cada dia, na despedida do sol, d'ontem...

OUTONO disse...

CRIS ANIMAL

"
Passo a passo de um amor que já caminhou tanto e que quer caminhar mais!
Foi o pensamento que me veio."

Faço minhas as tuas palavras.

Beijinho

OUTONO disse...

HELENA PAIXÃO

Obrigado amiga...pelo carinho da tua leitura!

Beijinho

OUTONO disse...

CRISTINA SIQUEIRA

...e eu "amo" este escrever...e saber das leituras que me chegam...

Beijinho.

OUTONO disse...

MARIPA

Um amuo....nunca faz mal. Tens razão! Muita razão...

Gosto desse ver leitura da tua alma de escrita...

Beijinho

OUTONO disse...

RENATA

Tudo bem...fazia tempo que não aparecias...

Ainda bem, que está tudo bem...

Beijinho

OUTONO disse...

BRUMA

O amor tudo vence...

Gostei de te "ver".

Beijinho

OUTONO disse...

VERA

Piegas...nãooooooooo!

Não acredito....

Thank's pelo carinho.

Beijinho

OUTONO disse...

MDSOL

:)))

Nota: não é código...

☆Fanny☆ disse...

Uau!

Mas o amor está no ar! Que romãntico! Que lindo diálogo...um diário de amor, um registo de sentimentos que vale a pena partilhar!

O amor deve ser cultivado ao longo dos tempos, tal como uma flor precisa de carinho, de atenção! Às vezes há quem se esqueça deste pormenor tão importante!

Adorei o entrelaçado de emoções, emocionou-me ao som desta melodia!

Um beijinho

Fanny, uma romântica incorrigível! Talvez exagerada, às vezes! rsrsrsr

OUTONO disse...

FANNY

Que surpresa...linda, a tua presença. Julgava-te perdida em reflexão, mas deste-me a conhecer um sorriso, que me fez bem.

E tens razão. sempre tiveste. O amor, é uma semente de flor, que merece todo o carinho, toda a atenção. O amor, é o elo da vida a dois, capaz de mover céus e terra ( perdoa-me a expressão), capaz mesmo de declarar-se ao próprio amor...tal é o amor.

E claro, que esta ficção ( com um pouco de realidade ( só um pouco ), revela-se solta e como tal sedenta de partilha...tal como o amor, ou a flor como dizes, vaidosa de se mostrar viçosa.

Pena que o amor (hoje) em grande parte dos casos, seja mera montra de venda de produtos fáceis, ou exibicionismo puro. Um desabafo outonal...entenda-se.

Quanto ao romantismo...só fica bem a quem o pratica...aliás ser romântico, é amar....e amar é uma constante de amor. Curioso, se algum professor de matemática estudar esta equação ...por certo que será do terceiro grau.

Beijinho.

ParadoXos disse...

tive que descer as escadas do texto para captar o todo que é amor, muito!
é assim que vou aprendendo como se faz!


forte abraço amigo Outono
obrigado pela viagem...


heduardo

tulipa disse...

Metáforas
de dor
e lágrimas de sangue
num tempo infinito
ausente
num corpo são
almas desalinhadas
pelo desgosto da vida
súplicas de amor
e alguma dor.

Meu Amigo:
Que bela ideia, essa do Diário!Como sempre a tua escrita nos conduz à meditação.
Como é bom ler-te...

Beijinhos.
Bom domingo.

Justine disse...

Um fulgurante momento de reconciliação, retratado com sensibilidade e mestria nas tuas palavras poética e diálogos soltos.
Soube bem...

mariam disse...

Outono,

'deliciosa' a tua escrita! é um prazer passear por ela...

a música também a escolhes na perfeição...

e as imagens, lindas!

obrigada por partilhares...

... venha de lá a parte III sff! :) :)

um abraço e um sorriso enorme :)
mariam

OUTONO disse...

MARIAM

Leio o teu comentário...e "ouço-o" igualmente no meu sentir.

São palavras que emocionam, quem escreve e, lê depois o efeito receptor, como brilho almejado.

Claro, que partilharei sempre este dizer da minha escrita, oxalá que a "dona" criatividade não se esqueça de me bater à porta, ou outra curva do caminho me desvie da atenção, fascínio e desafio de ter uma folha de papel branca por "florir" de palavras, a que por vezes chamo sentires deste interior.

A música...é sempre uma componente obrigatória, neste meu olhar de horizontes e, agrada-me o teu agrado...às vezes, uma sintonia vale mais que um encontro de ideias.

As imagens...são apenas o "ainda receio" de mostrar o amadorismo, na retaguarda de uma máquina fotográfica. Fotografia, no entanto que sempre me fascinou. Fotografia, que também faz parte do meu índice curricular....mas de outros tempos...onde as cores eram utopia e a revelação uma surpresa em cada tentativa. Hoje o digital, revolucionou tudo...ainda bem!

Quanto á parte III deste "contar" diário...confesso-te, não ter grandes certezas de a concretizar. Mas tentarei...oxalá! Promessa de Outono.

Um grande abraço e um beijinho com um enorme sorriso por contar contigo nesta "galeria" de leitores que muito respeito. Obrigado!

mundo azul disse...

_______________________________


...que belo amor!

Foi um mel ler o seu texto!


Beijos de luz e o meu carinho...

________________________________

Carla disse...

tão intensamente belo este conto
beijo